Páginas

E quem disse que a natureza não está presente nas cidades?

O objetivo do UrbAnimals é exatamente esse: Dar uma visão que geralmente passa despercebida por todos diante de tanto trabalho e correria. A vida animal está presente tanto em nossos quintais como em parques e zoológicos.


O tema dos animais urbanos foi escolhido por mim não só pela certa dificuldade em ser estudante e viajar à procura de outros animais, mas também por se tratar de um tema importante, que mostra o quanto o homem já interferiu na vida do planeta, e como a natureza está se adaptando a isso.


Como futuro biólogo, tento aprender e difundir esse conhecimento cada vez mais, para que o homem entenda melhor cada uma dessas belas criaturas e aprenda a viver em harmonia com elas, trazendo assim um mundo melhor para todos, um mundo melhor para a vida.

Surpreenda-se. De cães a elefantes, de peixes a morcegos, o UrbAnimals vai te levar ao mundo de cada um deles.

Um grande abraço, Thom Girotto.

20 de outubro de 2012

Regeneração de patas dos crustáceos

Coincidentemente, no mês do chama-maré aqui no blog, eu pude presenciar um fenômeno natural que eu mesmo duvidava que fosse possível: A regeneração de, nem uma e nem duas, TRÊS patas de uma das minhas fêmeas de chama-maré!


É impressionante como a carapaça que é descartada é tão detalhada, parece mesmo que existem dois caranguejos na foto! - O exoesqueleto não é deste caranguejo, observe que ele possui a garra maior na quelícera direita, e o caranguejo, na esquerda. 

  Há algum tempo, após realizar a ecdise (a troca da carapaça), essa fêmea perdeu três dos dez apêndices, pois após essa troca de exoesqueleto, o animal fica frágil e muito sensível; Acredito que provavelmente ela foi atacada pelos outros indivíduos do terrário.

Eu já havia ouvido falar que era possível uma regeneração dos apêndices em caranguejos e outros crustáceos, mas não tinha a mínima noção de como isso seria feito, e se de fato seria. Um belo dia simplesmente me deparei com o exoesqueleto antigo dessa fêmea, e ela estava ali também, com todos os pereópodes (nome dado às patas de crustáceos) novamente! Veja:


No exoesqueleto que foi deixado, ainda faltam as três pernas... - Agora vamos ver no caranguejo!


Três pereópodes novinhos! Estes possuem até a cor diferente, por serem estruturas novas no corpo do animal.

Peguei a carangueja com muito cuidado, e realmente dá para sentir que seu corpo está mais frágil, literalmente mais mole, pois ela acabou de realizar uma troca completa de exoesqueleto.
É por isso que estes animais se escondem por alguns dias após realizar a ecdise, pois ficam muito frágeis e desprotegidos com essa carapaça nova.


Dessa vez não quis dar chance pro azar; Ela ficou uma semana em um aquário menor, sozinha, para que quando voltasse para seu terrário não corresse o risco de perder suas patas de novo.




Você sabia que os indígenas já sabiam disso?!

Pois é! Há muito tempo, os povos que capturavam caranguejos para se alimentar já sabiam que não era necessário matar o animal!

O caranguejo não possui muita carne aproveitável sem ser nas pinças, então em vez de sacrificar o animal para aproveitar somente suas pinças, eles retiravam apenas uma, pois sabiam que depois de um tempo ela se regenerava! 
Infelizmente povos que se julgam mais evoluídos retiram grandes quantidades de caranguejos para consumo, o que anda causando desequilíbrios ambientais, e inclusive ameaçando algumas espécies, como é o caso da espécie Ucides cordatus, considerada ameaçada no estado do Paraná.

Fêmea de chama-maré e sua carapaça após a ecdise: A regeneração de fato é real!

9 de outubro de 2012

Dimorfismo sexual - os chama-marés

E na primeira postagem do mês sobre os chama-marés, vamos falar de dimorfismo sexual. Mas afinal, o que é isso?

Dimorfismo sexual é o nome dado às características físicas que nos permitem diferenciar o macho e a fêmea de uma espécie; É o que acontece, por exemplo, em elefantes (tamanho do corpo e presas), com alces (só o macho possui chifres) e em peixes como bettas (macho com nadadeiras maiores) e lebistes (macho com a cauda grande e bem colorida). 
Animais como cães e gatos, por exemplo, não possuem dimorfismo sexual.

Vamos aplicar o mesmo exemplo para o nosso bicho do mês, o caranguejo chama-maré, que na verdade é o nome popular do gênero Uca.

Esta é uma fêmea de caranguejo chama-maré; A principal diferença entre machos e fêmeas não está no tamanho, mas sim nas garras... Veja os machos abaixo, e você entenderá o porquê!
  
Estes são dois machos de caranguejo chama-maré; Possuem uma garra super desenvolvida, que é usada para atrair as fêmeas e lutar com outros machos.

Quando a maré abaixa, os machos saem de suas tocas e 'acenam' com a garra, como se estivessem chamando a maré alta de volta. É por conta dessa garra enorme que estes animais possuem nomes como chama-maré e caranguejo-violinista; 

Fique ligado, ainda vem muita coisa legal sobre o nosso bicho do mês!
Só aqui no UrbAnimals!

3 de outubro de 2012

Cotidiano Verde - Leve a SUA sacolinha!

Shopping-bag, Eco-bag, sacola reutilizável, sacola de pano... São tantos modelos quanto nomes, todos em prol do meio ambiente. Vai ao mercado? Carregue com você sua sacola, seja ela qual for.

Essas sacolas foram projetadas pelo meu pai, e são um ótimo exemplo de como podem ser belas e resistentes: Cada uma suporta até 23kg.
A lei que proibiu a distribuição das sacolinhas plásticas chegou aqui no Brasil, mas logo caiu. Eu sei que no começo pode ser difícil de lembrar, mas com o tempo você pode se acostumar, e ainda livra o planeta de muitos problemas que as sacolinhas plásticas causam, como a poluição e degradação da vida marinha, e o entupimento de bueiros.

Não faça como eu! Habitue-se a levar a sua sacolinha sempre que sair! É fácil, prática de usar e ainda ajuda MUITO o meio ambiente!

1 de outubro de 2012

BICHO DO MÊS - OUTUBRO

O bicho do mês de outubro é um crustáceo, que eu particularmente tenho muita afinidade e três exemplares em casa: o chama-maré;




Este caranguejo é facilmente encontrado em manguezais, e também é conhecido como caranguejo-violinista, por conta da garra do macho que é muito maior!

Em breve, mais postagens sobre essa pequena e interessantíssima criatura!
Fique ligado!!!