Páginas

E quem disse que a natureza não está presente nas cidades?

O objetivo do UrbAnimals é exatamente esse: Dar uma visão que geralmente passa despercebida por todos diante de tanto trabalho e correria. A vida animal está presente tanto em nossos quintais como em parques e zoológicos.


O tema dos animais urbanos foi escolhido por mim não só pela certa dificuldade em ser estudante e viajar à procura de outros animais, mas também por se tratar de um tema importante, que mostra o quanto o homem já interferiu na vida do planeta, e como a natureza está se adaptando a isso.


Como futuro biólogo, tento aprender e difundir esse conhecimento cada vez mais, para que o homem entenda melhor cada uma dessas belas criaturas e aprenda a viver em harmonia com elas, trazendo assim um mundo melhor para todos, um mundo melhor para a vida.

Surpreenda-se. De cães a elefantes, de peixes a morcegos, o UrbAnimals vai te levar ao mundo de cada um deles.

Um grande abraço, Thom Girotto.

15 de fevereiro de 2010

Curiosidades sobre o betta 1

Muitos acham que ter um peixe custa muito e exige muito trabalho, mas o betta não requer nada além de um aquário de no mínimo dois litros, comida de duas a três vezes por dia e um pouco de atenção, afinal, ele também é um ser vivo e merece ser respeitado e tratado com amor e carinho, principalmente por se tratar de um ser pequeno e delicado.

Agora vem a pergunta que geralmente todos fazem. Por que o betta vive em espaços tão pequenos?

E a resposta é a seguinte. A espécie
Betta splendens é originária de regiões alagadas, charcos e plantações de arroz principalmente na Tailândia. O território ocupado por esses peixes acaba se limitando em pequenas poças com muito pouco oxigênio, tanto é que o betta possui um órgão chamado labirinto que o permite realizar trocas gasosas direto com o ar, e por isso o aquário do betta não precisa ser tão grande. A troca de água deve ser realizada de dois em dois meses, ou antes se o aquarista perceber que a água está suja. Geralmente, equipamentos como filtros não são necessários, pois o peixe sujará a água muito pouco. 


 












Exemplo de aquário básico para betta: Espaço para o peixe nadar, planta artificial, cascalho e um abrigo feito de rochas.

Concluindo, o ideal é que haja bastante espaço para o peixe poder nadar e se abrigar, e que os equipamentos (aquecedor, filtro, iluminação, etc.) sejam instalados para o total bem-estar do aquário e também do betta. Mesmo assim...

- Não é por isso que o peixe deve ser mantido em um aquário poluído ou mal-cuidado. O betta é muito sensível à doenças relacionadas com o ambiente onde vive.

- O betta consegue sobreviver períodos relativamente longos fora da água, mas nunca se deve deixar propositalmente o peixe nessas condições.


Em breve mais curiosidades sobre o betta.

Esse é o betta Petr, mesmo peixe do exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário